Buscar
  • Bruna Viana

Ballet de Repertório

Quando entramos no ballet é comum que surjam muitas dúvidas e uma das principais é: o que é um ballet de repertório?


De uma forma simples, ballet de repertório é um espetáculo que foi desenvolvido a algum tempo atrás e que quando queremos reapresentá-lo (por inteiro ou algum trecho) precisamos ser fiéis a composição original.


Eu costumo comparar os repertórios aos contos de fadas, pois sempre que contamos a história "Chapeuzinho Vermelho", as características principais são mantidas: uma garotinha de capuz vermelho que ao cruzar a floresta para levar comida para a avó acaba encontrando um lobo que faz de tudo para devorá-la.


Assim como nos contos de fadas, o ballet de repertório aceita algumas alterações que costumamos chamar de adaptações ou versões. Da mesma forma que não importa pro resultado final da história da Chapeuzinho se ela está levando doces, tortas, sopa ou pães para a vovó (desde que ela esteja levando uma comida está tudo ok), nos repertórios às vezes fazemos adaptações para que a história e coreografia encaixe melhor com o elenco que temos disponível.


Muita gente acredita que novos ballets de repertório não possam ser criados mas não é bem assim que funciona, ninguém cria um ballet falando "esse ballet não vai virar um repertório", pois não sabemos como será a recepção do público. Existem sim os clássicos ballets de repertório como "O Lago dos Cisnes" e "Coppélia", mas um ballet quando reapresentado várias vezes por uma cia de reconhecida pode acabar se tornando um repertório (em específico para aquele grupo). Ou então, quando uma cia cria um espetáculo nos moldes dos repertórios clássicos e esse vem a ser dançado em mais temporadas ou por outros grupos, também consideramos que é um ballet de repertório.


É importante relembrar que ballets de repertórios são criados para bailarinos profissionais e em poucos casos é possível a participação de estudantes e alunos iniciantes nestes ballets, mas como a realidade das escolas de dança é muito diferente das cias profissionais, é extremamente comum que escolas adaptem as coreografias para que seus alunos se encaixem na história.


As adaptações devem ser feitas respeitando o ballet original, por exemplo: se determinada variação termina com uma diagonal de giros, até podemos trocar um giro por outro giro, mas não trocar por uma sequência de saltos. A mesma regra vale para as cores e características principais dos figurinos.


Além disso, a interpretação é fundamental nestes ballets! O bailarino deve contar uma história como numa peça de teatro mas sem falar uma palavra.


Para dançarmos um repertório é necessário muito estudo e dedicação pois como essas coreografias foram criadas para valorizar o que outros bailarinos faziam de melhor, nem sempre estamos prontos para executar todos os movimentos com perfeição e segurança.


Se ficou alguma dúvida sobre repertórios, você pode deixar nos comentários que eu estarei respondendo.



Foto de HF Fotografia para o espetáculo do Curso de Férias Miosotis. Pas de Deux de Pássaro Azul do espetáculo A Bela Adormecida.

7 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Audições: o que você precisa saber

A primeira coisa que você precisa saber sobre qualquer audição é para que a audição foi convocada. Existem diversos tipos de audição e para cada tipo de teste o examinador está em busca de um perfil d

O tempo é amigo do bailarino

Quem nunca ouviu aquela frase "a pressa é inimiga da perfeição"? Na dança é difícil falarmos que alguém atingiu a perfeição pois sempre vamos tentar girar mais uma pirueta, sustentar a perna mais um s

O corpo perfeito pra dança

Se você pensa numa bailarina e de cara vem a sua mente a imagem de uma menina alta e magra, saiba que não há nada de errado com você mas sim com o padrão criado e imposto sobre os artistas da dança. A